Publicidade

Governo do estado enganou policiais militares

Até agora o governo do estado não cumpriu um ítem sequer do acordo firmado com policiais militares para encerrar a última greve da categoria. Senador João Alberto, deputado estadual Roberto Costa e deputado federal Louviral Mendes foram usados por Roseana Sarney para enganar os militares assinando um acordo que até agora não tem valor algum.

Veja aqui: Fim da greve da PM do Maranhão

O governo Roseana enfrentou duas crises com os policiais em cerca de 3 anos. Na primeira greve, em 2011, também houve um acordo que não foi totalmente cumprindo. Isso também foi um dos motivos para a greve recente. Para dar fim à última mobilização, o governo estadual negociou sete ítens com os policiais, o principal deles é a anistia aos grevistas. Entretanto, o blog recebeu informações de que alguns policiais estão sendo notificados de processos disciplinares. Os líderes do movimento, cabo Campos e soldado Leite, devem enfrentar julgamento de um comissão disciplinar, nesta quinta-feira (17). Processos que foram reabertos após o fim da greve.

Outros ítens do acordo (veja o documento aqui) são os 18% referente ao aumento concedido a todas as classes (mas que tinha deixado os militares de fora) e cumprimento do acordo de 2011, que é o código de ética, insalubridade, adicional noturno, lei da promoção; tem também a questão da carga horária semanal de 40 horas. Nada andou até o momento. Procurado várias vezes pelos policiais para uma conversa, o deputado carcarazinho Roberto Costa, foge da categoria como o diabo foge da cruz.

Mas, o que esperar de um governo mentiroso, aconstumado ludibriar a sociedade? Um governo que vive de mentiras o tempo todo, que mostra em suas propaganda um “novo” Maranhão que só existe na cabeça deles e na propaganda. Os policiais foram engandados e prometem dar o troco. Já marcaram reunião e decidirão em Assembleia Geral, ainda nesta semana, por uma nova paralisação. Seria a terceira em toda a história da PM do Maranhão, e todas no governo Roseana.

Veja abaixo o documento com a assinatura daqueles que enganaram os policiais em nome do governo do estado:

 

 

Busca