Publicidade

Feirantes do João Paulo estão com atividades ameaçadas

Um impasse entre feirantes da feira do João Paulo e Secretaria Municipal de Agricultura, Pesca e Abastecimento (Semapa) ameaça a atividade comercial do local. A SEMAPA anunciou que a feira será demolida para construção de novas instalações.

O problema é o espaço sugerido para os feirantes comercializarem seus produtos, durante as obras. O local oferecido pelo secretário Ivaldo Rodrigues é um terreno em frente à Hemomar, que, segundo os feirantes, não comporta 20% dos que atuam na feira.

Os vendedores chamaram o vereador Professor Sá Marques para intermediar uma solução para o problema. “O que foi exposto é que só se justificaria uma demolição completa se houvesse um abalo estrutural da feira. Então cabe apenas uma reforma e não uma demolição completa. Neste terreno oferecido não cabe todo mundo e não há a clientela que existe no João Paulo. Não é admissível”, afirmou.

A sugestão apontada pelo parlamentar e feirantes ao secretário Ivaldo Rodrigues, e ao secretário de Obras e Serviços Públicos, Antônio Araújo, é que a reforma seja executada por etapas, de maneira a não causar prejuízo aos trabalhadores.

Um abaixo-assinado com explanação dos motivos que invalidam a demolição da feira foi entregue ao secretário após reunião que aconteceu na tarde desta quarta-feira, 24. Eles explicaram que a feira é divida em três módulos (três telhados). Assim, pode ser feita a reforma em três etapas, como anteriormente, já que tempos atrás houve uma reforma, segundo eles.

Ivaldo Rodrigues, que já tentou a todo custo impedir o trabalho dos feirantes da Feira do Vinhais, como denunciou este blog (Reveja AQUI, AQUI e AQUI), prometeu levar a exposição de motivos e o abaixo-assinado ao prefeito Edvaldo Holanda. A resposta final  será dada nesta sexta-feira, 26.

Busca