Publicidade

Fantástico revela esquema de fraude liderado por donos do “Pernambuco dá Sorte”

Sede da empresa acusada de fraude no Pernambuco

Reportagem especial levada ao ar neste domingo (23), no Fantástico da Rede Globo, revela esquema ilegal envolvendo a venda de Títulos de Capitalização em diversos estados por um grupo de empresários. Uma operação da Polícia Federal foi deflagrada simultaneamente em Pernambuco, Alagoas, Amazonas, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Piauí, Rio de Janeiro, São Paulo e Rio Grande do Sul.

Maranhão não aparece entre os estados denunciados

O Maranhão é o único estado onde existe a venda de Título de Capitalização que não sofreu nenhum tipo de ação da Justiça. Diferente dos estados onde a polícia realiza investigações, no Maranhão a empresa que trabalha no ramo segue todas as diretrizes legais da Susep – Superintendência de Seguros Privados, autarquia do Ministério da Fazenda, que autoriza e regulamenta os sorteios lastreados por Título de Capitalização.

O gerente da empresa Maracap que atua no Maranhão, disse que “a reportagem do Fantástico serve para mostrar que é preciso separar o joio do trigo, separar aqueles que trabalham de maneira correta e dentro da legalidade, daqueles empresários que fazem de tudo para maximizar seus ganhos”. Cícero Salviano diz que não se pode penalizar quem trabalha corretamente por causa de quem não trabalha direito.

Delegado diz que é preciso trabalhar com honestidade

A fala do gerente da empresa Maracap vai ao encontro do que disse à reportagem do Fantástico o delegado da Polícia Federal que está à frente das investigações: “É aquele pensamento de sempre querer ganhar mais, muito mais. Porque se ele fizesse tudo correto, ele iria ter a parte dele, como todo empresário honesto tem, e todos sairiam ganhando, inclusive os institutos de filantropia”, destaca Marcello Diniz Cordeiro, delegado da PF.

Na última terça-feira (18) o Maracap recebeu orientação da Sul América Capitalização, empresa que emite o Título vendido no Maranhão, para paralisar a venda do produto temporariamente. Provavelmente, uma atitude de extrema cautela por parte da Sul América no sentido de preservar a credibilidade do Título, já que em nenhum momento o nome do Maranhão e do Maracap foram alvo de qualquer denúncia.

Investigação da Polícia

A investigação da Polícia Federal atinge em cheio o Pernambuco dá Sorte, empresa dos irmãos Pascoal, que são acusados de comandar o Jogo do Bicho, uma bolsa de apostas ilegal que movimenta muito dinheiro.

Os Títulos de Capitalização na modalidade Popular devem repassar uma parte do valor arrecado para uma instituição de caridade. Mas, segundo a Polícia, os empresários do Pernambuco dá Sorte não faziam os repasses corretamente. E são acusados também de criar sua própria instituição de caridade para receber de volta o que deveria ser repassado para projetos sociais.

Outra forma de ter de volta o dinheiro seria a criação de uma Divulgadora pelos próprios donos do Pernambuco dá Sorte, que receberia muito dinheiro para fazer propaganda. Tudo não passava de um “jeitinho” para aumentar o ganho dos empresários.

A diferença no Maranhão

Nenhuma dessas práticas acontece com a empresa maranhense, que mantém contrato de repasse com a Cruz Vermelha Brasileira. Com sede no Rio de Janeiro, a instituição tem um longo histórico de ajuda humanitária, e recebe corretamente os recursos do Maracap.

Para fazer a publicidade do Título maranhense, foi contratada uma empresa devidamente constituída e com reconhecida atuação do mercado de São Luís. A Fábrika Marketing presta todo o serviço de propaganda, recebe legalmente pra isso e emite nota fiscal. Tudo dentro da legalidade.

Mudanças

A Susep deve promover alterações na regulamentação dos Títulos de Capitalização com vistas a uma maior tranparência e para evitar brechas que permitam algum tipo de “jeitinho”.

Abaixo, veja a reportagem completa do Fantástico:

http://globotv.globo.com/rede-globo/fantastico/t/edicoes/v/pf-descobre-desvio-de-verba-destinada-a-instituicoes-em-venda-de-titulos-de-capitalizacao/3784892/

 

 

Busca