Publicidade

Esquema de propina rendeu R$ 2 milhões para campanha de Roseana Sarney

Cara de coitadinha: Roseana declarou estar revoltada quando seu nome surgiu

“Caixa da propina” administrado pelo doleiro Alberto Youssef destinou R$ 2 milhões para a campanha à reeleição de Roseana Sarney em 2010. A revelação consta no depoimento do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa, aquele que esteve no Maranhão ao lado de Lobão e Roseana para o lançamento da refinaria de Bacabeira.

Paulo Roberto, Lobão e Roseana

 

Leia mais: Refinaria de Bacabeira aparece no esquema de propinas do partido de Roseana Sarney

Em delação premiada, Paulo Roberto garante que, a pedido de Edison Lobão, mandou entregar a quantia em dinheiro vivo, após reunir-se pessoalmente com o ex-ministro de Minas e Energia, que intercedeu em favor da “doação”.

Responsável pelo pagamento, Youssef afirma que nunca manteve contato com Lobão e Roseana, e a quantia foi entregue num hotel em São Paulo, em 2010, a um homem que o aguardava no quarto. Por outro lado, Paulo Roberto Costa declara que se encontrou várias vezes com a ex-governadora, tanto no Palácio dos Leões, sede do governo do Maranhão, como na casa da própria Roseana.

Segundo conta, a filha de Sarney era sempre breve quanto tratava de assuntos relativos à propinas para o abastecimento de sua campanha. Roseana se limitava a perguntar, segundo Costa em delação premiada, se “estava tudo acertado”.

 

 

 

Busca