Publicidade

Enquanto a população não tem água nas torneiras, Roseana gasta R$ 230 mil com água mineral

 

Problema constante em São Luis e por todo o estado, a falta de água já deveria ter sido resolvida pelo governo do estado. Em janeiro de 2012, foi declarada situação de emergência no abastecimento de água, na capital, pela governadora Roseana Sarney, através do Decreto Nº 27.997. Com toda pompa, o Secretario de Saúde, Ricardo Murad, convocou entrevista coletiva para anunciar a construção de 60 poços artesianos para amenizar a situação, com gastos de R$ 1 milhão por poço, num total de R$ 60 milhões.

Em fevereiro de 2013, o governo estreava campanha publicitária com o mordomo Thompson, da novela Salve Jorge, da TV Globo, dizendo que o problema da falta de água seria resolvido em 6 meses. Depois desse prazo, o ator global voltaria, segundo o comercial, para ver o serviço pronto. Dizem que nos bastidores o ator Odilon Jorge, astro da propaganda, olhava para o texto e dizia: “essa é a maior mentira que eu já gravei na minha vida publicitária”.

Estava certinho, seu mordomo. O problema nunca foi resolvido e a falácia de Roseana Sarney de resolver o problema de água em 6 meses vai para a prateleira das promessas não cumpridas. Já que não dá pra resolver o problema do povo, Roseana Sarney resolve o dela.

Se, por um lado, a população padece constantemente com torneiras vazias e o constante rompimento da adutora do sistema Italuís, por outro, não falta água mineral nas residências oficiais do governo do estado. Milhares de litros de água mineral comprados ao custo de R$ 229.782,50 (duzentos e vinte nove mil, setecentos e oitenta e dois reais, e cinquenta centavos), conforme publicação no Diário Oficial, que mostra a contratação de empresa para fornecimento de água mineral ‘sem gás’.

O contrato foi assinado no dia 24 de janeiro de 2014 e publicado em 12/02/2014. Veja o extrato:

 

Busca