Publicidade

Empresários vencedores da primeira etapa da licitação do transporte público tentaram barrar na Justiça o certame

A prefeitura de São Luís divulgou nesta sexta-feira (03) o resultado da primeira etapa da licitação do Transporte Público de São Luís. Entre as empresas que tiveram garantido os lotes que foram distribuídos, algumas já atuam na capital e já teriam até tentado barrar na Justiça o certame.

De acordo com o resultado, as empresas vencedoras do lote I foram a Ratrans e Taguatur; lote II foram as empresas 1001 Expresso e Rei de França; lote III por Autoviárias Matos, Viper Transporte Viação Abreu, Patrol, Viação Aroeiras e Planeta; e o lote IV pela Primor.

Dos lotes oferecidos, apenas um foi vencido por empresas que ainda não atuam no Sistema de Transporte Público de São Luís. Outra constatação é a de que, entre as empresas vencedoras, há aquelas cujos empresários entraram na Justiça para tentar barrar a licitação, que busca principalmente melhorias no serviço ofertado a população.

Entre elas estão o dono da Primor, Romeo Aguiar Carvalho, que juntamente com os donos da 1001 Expresso Hermes Carvalho e Ratrans, Gilson Gonçalves, ingressaram na Justiça através do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de São Luís (SET) para tentar barrar o certame.

A iniciativa, porém, não vingou e o juiz Douglas de Melo Martins, titular da Vara de Interesses Difusos e Coletivos, indeferiu o pedido do sindicato e manteve o processo de licitação do transporte público na capital maranhense.

Busca