Publicidade

Empresários têm a obrigação de oferecer um serviço de qualidade

Ônibus 'no prego'

John Cutrim

Depois de 15 dias de exaustivas reuniões e estudos, intermediada pela Prefeitura de São Luís e pela Justiça do Trabalho, foi apresentado como soluções para equilibrar o sistema o subsídio mensal de R$ 4,5 milhões ou aumento reivindicado pelos empresários de R$ 2,79.

Diante desse absurdo apresentado pelos empresários, foram rejeitadas as duas propostas.

Ficou definido mesmo que a Prefeitura de São Luís cumprirá acordo relativo ao transporte público, homologado pela Justiça do Trabalho nesta sexta-feira (6), que redefine o valor da tarifa para R$ 2,40.

A partir da conciliação judicial entre os sindicatos dos Trabalhadores do Transporte Rodoviário do Maranhão (STTRE) e Empresas de Transporte (SET), foi exigida a melhoria do sistema de transporte com novos benefícios e investimentos no setor: 250 ônibus novos em seis meses e mais 250 ao longo do próximo ano e assim São Luís deixará de ter frota mais antiga do Brasil; início da implantação da biometria facial, que permitirá a realização do compromisso de implantar o bilhete único (prefeitura iniciou processo de licitação com publicação de edital para os estudos); reforço de ônibus nos terminais e cumprimento das ordens de serviços com a circulação de 100% da frota.

Vale ressaltar que o serviço oferecido pelas empresas de transporte em São Luís é de péssima qualidade. Disso ninguém tem dúvida. Ônibus sucateados, sempre cheios e fora do horário. Transtornos não condizentes a tarifa alta cobrada. Resta saber agora se os empresários cumprirão com o acordo de, a partir de agora, renovar a frota e oferecer conforto, regularidade e segurança aos usuários.

Ranking Nacional

Teresina – 2,10

São Luís – 2,10

Recife – 2,15

Fortaleza – 2,20

João Pessoa – 2,20

Macapá – 2,20

Natal – 2,20

Aracaju – 2,35

Belém – 2,40

Rio Branco – 2,40

Vitória – 2,40

Maceió – 2,50

Palmas – 2,50

Boa Vista – 2,60

Porto Velho – 2,60

Curitiba – 2,70

Campo Grande – 2,70

Manaus – 2,75

Goiânia – 2,80

Salvador – 2,80

Belo Horizonte – 2,85

Cuiabá – 2,85

Florianópolis – 2,90

Porto Alegre – 2,95

Rio de Janeiro – 3,00

São Paulo – 3,00

 

Busca