Publicidade

Eleição indireta de Luís Fernando é golpe

Já há algum tempo, o grupo Sarney/Roseana vem definhando no Maranhão. Mas, de uma forma ou de outra, se mantém no poder. Pra isso, utiliza todas as forças que conseguiu reunir durante os quase 50 anos de dominação no estado. Com tentáculos em todos os poderes e repartições, tanto no Maranhão quanto em Brasília, é só mexer os pauzinhos certos para garantir a dominação.

Ainda que percam no voto, armam o golpe certo para tomar o poder daquele que nas urnas foi o vencedor. Exemplos não faltam, mas, o mais emblemático foi a cassação de Jackson Lago em 2009 por meio de um Recurso Contra Expedição de Diploma (RCED) movido pelo grupo de Roseana Sarney. O mesmo Recurso foi movido contra Roseana, mas, mexendo os pauzinhos certos, o RCED que serviu para cassar Jackson não serviu para cassar Roseana.

Dito isto, é importante olhar com um pouco mais de cuidado a movimentação para tentar eleger Luís Fernando governador sem o voto do povo. Ruim de voto, lanterninha das pesquisas, pesado e sem carisma, só há um jeito de alçá-lo ao cargo máximo do executivo estadual: dando um golpe no povo que até agora tem dito um sonoro 'NÃO' ao projeto de perpetuação dos Sarney no poder.

O “Luís de Roseana Sarney e Jorge Murad” não só aparece muito atrás nas pesquisas de intenção de voto como figura com o maior índice de rejeição. Mesmo tento feito das tripas coração em suas andanças pelo interior, fazendo campanha fora de época com a estrutura do estado paga pelo povo, o secretário-candidato não goza da simpatia do eleitor. O grupo Sarney tem guardadas inúmeras pesquisas que mostram isso.

A decisão, portanto, é pelo golpe via eleição indireta que já vem sendo arquitetada desde tempos atrás. E, se Luís Fernando não for eleito via esse golpe, talvez nem saia candidato em outubro de tão ruim que está a maré para o lado dele e do seu grupo político. É o que revela o próprio assessor da Secretaria de Infraestrutura de Luís Fernando, o blogueiro Gilberto Léda. Diz ele em seu blog que se Arnaldo Melo, presidente da Assembleia, for o escolhido dos deputados como governador tampão na eleição indireta depois da saída de Roseana, o próprio Luis Fernando abre mão de ser candidato em outubro, porque não acredita no projeto.

Ora, se nem Luís Fernando acredita que seja eleito pelo voto do povo, só lhes resta o golpe. É por isso que estão dispostos a pagar o preço que for para fazer o candidato-sem-voto sentar agora na cadeira número 1 do Palácio dos Leões e concorrer em outubro com a chave do cofre na mão, pronto para usar e abusar de todo o poder do cargo. Se não vai ser com o voto do povo, que seja no golpe. Assim, acreditam que o secretário-candidato tenha condições de concorrer com chances melhores nas eleições de outubro quando vai precisar do voto do povo.

 

Busca