Publicidade

Eita lasqueira! Arnaldo Melo gasta R$ 500 milhões de reais no último 15 dias de “governo”

Arnaldo Melo deixa rastro de destruição com a cara mais cínica

Arnaldo Melo (PMDB), o governador-tampão e pau-mandado dos Sarney cumpriu à risca a ordem de raspar o cofre do estado para plantar dificuldades para o novo governo que se inicia neste 1º de janeiro.

Dentro das imoralidades praticadas por Arnaldo, e amplamente denunciadas, agora surge um grave fato: o pau-mandado de Roseana Sarney (PMDB) torrou a impressionante quantia de R$ 500 milhões de reais, segundo dados oficiais obtidos no Portal da Transparência.

Para se ter uma ideia do que significa gastar meio bilhão de reais em 15 dias, o valor é o dobro do que gastou a então governadora Roseana no mesmo período de 2013. Veja o comparativo entre os anos de 2012, 2013 e 2014 abaixo:

Fica clara a intenção, a maldade, na gastança desenfreada. De 15 a 30 de dezembro de 2014, Arnaldo Tampão raspou R$ 425.242.239,98 dos cofres do estado, enquanto Roseana Sarney, em período igual no ano de 2013 gastou apenas R$ 270.230.197,15. Mesmo comparado aos últimos 15 dias de 2012, quando os gastos do governo foram maiores e chegaram a 321.687.343,60, Arnaldo é disparado o maior gastador.

O governador-tampão gastou essa dinheirama toda principalmente com aliados, entre empresas ligadas ao seu grupo político e prefeitos amigos no interior do estado. De uma só canetada, por exemplo, Melo liberou mais de R$ 3 milhões para a Prefeitura de Colinas, R$ 3 milhões para a Prefeitura de Barra do Corda, R$ 2,8 milhões para a prefeita cunhada de Santa Luzia do Paruá e R$ 1,8 milhão para o município de Jatobá.

Foram liberados também R$ 40 milhões de reais, através da Secretaria de Saúde, para a administração do Hospital de Colinas, que pertence à família do governador-tampão.

Por outro lado, deputados reclamam do calote dado pelo “governador”, que não liberou emendas, além dos relatos de desabastecimento em hospitais da rede estadual de saúde, salários atrasados de servidores públicos e funcionários terceirizados, calote nos fornecedores, etc.

O pacote de maldades preparado para o novo governo é uma irresponsabilidade de Arnaldo Melo com o povo do Maranhão. Melo, um verdadeiro pau-mandado, aceitou a missão suja de deixar o caixa do estado quase zerado para o primeiro mês de governo Flávio Dino (PCdoB). Uma mesquinhez política que pode comprometer financeiramente o estado e os investimentos urgente que precisam ser feitos.

 

 

Busca