Publicidade

Deputada faz falsas acusações e passa vergonha

Acostumada a fazer acusações e mais acusações sem apresentar provas, a deputada filha do ex-secretário condenado pelo TCE, Ricardo Murad, passou aperto na sessão desta sexta-feira (09), na Assembleia Legislativa, e acabou saindo com o rabinho entre as pernas.

O líder do governo, deputado Rogério Cafeteira, cobrou da deputada Andrea Murad que apresentasse os nomes de quem estaria cobrando “pedágio” no governo. Cafeteira referia-se a uma acusação feita pela filha de Ricardo na sessão da última segunda-feira, onde ela afirmara que o governador estaria cobrando uma porcentagem de 40% do pagamento de empresas que prestaram serviços no governo anterior. Segundo Andrea Murad, três empresários haviam lhe confirmado que era verdade.

O líder do governo disse que a deputada tinha a obrigação de falar quem seriam as empresas e quem estaria cobrando dentro do governo. Eu gostaria, antes de mais nada, de lhe pedir, como oposição, que a senhora desse uma contribuição ao Estado. Essa é uma colaboração que Vossa Excelência poderia dar ao nosso governo, porque senão eu vou achar que Vossa Excelência está mentindo, está criando um fato”.

A deputada Andrea Murad calada estava, calada ficou. Demonstração de que se trata de mais uma de suas sandices levadas de forma irresponsável para a tribuna da Casa Legislativa.

Noutra situação tão inconsequente quanto, Andrea apontou o dedo para o deputado Othelino Neto e fez acusações sem provas. Disse que ele respondia a processos por improbidade, formação de quadrilha, corrupção, falsidades ideológica e outros mais.

O deputado rebateu os ataques na tribuna e desafiou a filha de Ricardo a mostrar onde ele responderia algum processo sobre o período em que foi secretário de Meio Ambiente, e quem seria relator de algum processo contra ele. Orientada por alguém, Andrea se deu conta da besteira que fez e voltou ao microfone no final da sessão para se retratar.

Não quero entrar no mérito de falar de colegas. Nunca foi o meu intuito aqui nesta Casa (…). Posso ter sido indelicada com o deputado Othelino, e peço desculpas a V. Exa. pela indelicadeza, peço que me desculpe se fui um pouco dura nas palavras com V. Exa”, arregou a deputada depois de ter sido alertada por telefone, provavelmente pelo próprio pai.

 

 

Busca