Publicidade

Deputada Andrea Murad entra errado e é enquadrada por Othelino Neto

No ímpeto de atingir o governo Flávio Dino, a deputada Andrea Murad (PMDB) subiu à tribuna na sessão desta segunda-feira (10), na Assembleia Legislativa, para repetir o fadado discurso contra o governador. “Flávio Dino governa com ódio, olhando para o passado e esquecendo do futuro, blá, blá, blá”. É a mesma ladainha decorada de sempre.

A novidade é que a filha do condenado Ricardo Murad (PMDB) levou uma foto do secretário estadual de Articulação Política, Márcio Jerry, à tribuna para, num ato cênico, chamá-lo de “pequenino”, zombeteando da estatura dele. Esbaforida, já sem fôlego de tanto arrotar asneiras, Murad de saias “acusou” Jerry de governar no lugar de Dino. Ao mesmo tempo em que acusava o governador de ser centralizador e governar com mãos de ferro. Ora, não faz o menor sentido. Como é que quem governa é um e o outro é que é centralizador? Alguém precisa ensinar à nobre deputada um pouco de raciocínio lógico.

O deputado Othelino Neto (PCdoB) saiu em defesa do governo e criticou o trocadilho da deputada em referência pessoal desrespeitosa à estatura do secretário. “O Márcio Jerry é um baixinho do bem, inteligente, culto, bom caráter. Inclusive, certamente, é um baixinho que tem muito mais caráter do que muitos grandões aqui em nosso Estado”, afirmou.

O discurso de Andrea é sempre desolcado da realidade. Quando critica o atual governo, a deputada fala em modelo ultrapassado de governar e fazer política. Fala como se ela e seu pai não tivessem participado dos governos que destruíram o Maranhão.

A Muradzinha enche a boca pra falar de “velhas práticas”. E quem praticava as velhas práticas? Quem estava no governo, certamente. E quem estava no governo? O pai dela e toda a corja de Roseana Sarney. Mais uma vez alguém precisa mostrar para a simpática deputada algo sobre raciocínio lógico. Se as práticas são velhas, os antigos governantes a praticavam. Aliás, Dedeia fala de “velhas práticas” com muita propriedade. Filha de quem é não poderia ser diferente.

Fim do texto

Para Dedeia

Dica grátis de oratória: Deputada, respire melhor quando for falar na tribuna. Não grite durante todo o discurso. Falar com ênfase não significa necessariamente aumentar o volume da voz. Lembra que um deputado disse que a senhora é que parecia estar com ódio?

 

 

 

Busca