Publicidade

De olho no Senado, Sarney Filho ignora aliança com Temer

 

Antes aliado próximo do presidente Michel Temer (MDB), atuando em seu governo como ministro do Meio Ambiente, o candidato ao Senado, Sarney Filho (PV) agora quer distância do presidente. Em sua campanha, Sarney Filho tem-se limitado a dizer que atuou como ministro mas não cita o ex-chefe, que já foi classificado pelo candidato como “salvação nacional”.

O motivo do distanciamento abrupto tem a ver com o desejo do ex-ministro de chegar ao Senado e devido a alta taxa de rejeição de Michel Temer. A permanência de Sarney Filho ao lado do presidente pode inviabilizar seu projeto e dar margem para que adversário como a candidata Eliziane Gama (PPS) se eleja no Senado.

A estratégia de ignorar a aliança com o presidente está sendo usada também pela irmã do candidato, a candidata ao governo do Maranhão, Roseana Sarney (MDB), que mesmo sendo do mesmo partido de Temer tem o deixado em escanteio enquanto usa Lula para angariar votos.

Mesmo sendo uma das articuladoras do impeachment da ex-presidente Dilma, e ao lado do pai, conselheira de Temer, a candidata evita falar do nome do Presidente e tenta passar aos menos esclarecidos que conta com o apoio do ex-presidente Lula no Maranhão. No estado, o petista apoia a reeleição do governador Flávio Dino (PCdoB).

 

 

Busca