Publicidade

Constran diz que decisão da Justiça não anula acordo de pagamento do governo do MA

Ex-governadora fez acordo com construtora

Após informações de que a Justiça desobrigou o Maranhão a proceder com os pagamentos de precatórios à Constran, a empresa emitiu nota afirmando que a decisão não anula o acordo com o estado. Segundo informa a Constran, a decisão judicial apenas manda calcular uma parte da dívida ainda em aberto, ressaltando que se trata de “etapa normal do processo” antes de transformá-la em novo precatório.

A Constran realizou obras rodoviárias no Maranhão na década de 1980, que não foram pagas em sua totalidade. O governo gerou dois créditos para a empresa pela dívida contraída, um de aproximados 113 milhões de reais em valores atualizados.

Por decisão judicial, a dívida virou um precatório que foi parcelado como resultado de um acordo proposto à Constran pelo governo do Estado, que teria sido intermediado pelo doleiro Alberto Youssef. Ele afirma, em depoimento à Polícia Federal, ter pago propina à membros do governo Roseana Sarney por conta da negociação. Por conta das suspeitas que pesam sobre o que foi acordado, a atual gestão estadual não está honrando os pagamentos.

O outro crédito, de cerca de 70 milhões de reais atualizados, ainda tramita na Justiça para definição de valor. A Justiça determinou a realização de perícia antes de transformar a dívida em novo precatório.

Apesar das evidências de favorecimento à Constran, o governo de Roseana Sarney negou que tenha havido favorecimento à construtora. A ex-governadora chegou a dizer que jamais teve conhecimento sobre o pagamento de propina a qualquer funcionário do seu governo.

 

 

 

Busca