Publicidade

Com patuá, Roseana Sarney diz que só catástrofe evita candidatura

De branco, Roseana Sarney tenta parecer “limpinha”

Com um vistoso patuá a ornamentar o pescoço, Roseana Sarney reapareceu nesta sexta-feira (3) para anunciar, finalmente, pré-candidatura ao governo do Maranhão.

Do alto da empáfia daqueles que se acham acima do bem e do mal sentenciou: “apenas uma catástrofe seria capaz de me tirar da disputa”.

A filha de Sarney, que tem o pai de santo Bita do Barão como guru, parece pouco afeita à humildade e ao respeito. Sobram casos de infortúnio de soberbos na política e fora dela.

Por trás da arrogância política de Roseana Sarney, está a insegurança própria daqueles que buscam em talismãs poder mágico para superar seus medos e fracassos.

Roseana Sarney vive o dilema entre o temor de ser mais uma vez rejeitada pelos maranhenses e a saudade dos tempos em que dava ordens e pitis no Palácio dos Leões.

Anos de mando e desmandos, que lhe renderam o apelido de “Princesa” revelado nas delações, que apontaram beneficiários de propinas da Odebrecht. Talvez por isso, aposte suas fichas nos patuás.

Busca