Publicidade

Cai taxa de homicídios na região metropolitana de São Luís pela 1ª vez em dez anos

queda de jurosO Governo do Maranhão implantou ao longo de 2015, novas dinâmicas para expandir a atuação do sistema de segurança do Estado e aperfeiçoar o combate à criminalidade. A queda da taxa de homicídios – pela primeira vez em uma série histórica de dez anos – comprova a eficácia das novas práticas, inclusive superando a meta de redução de homicídios estabelecida em nível nacional. Como parte dos avanços constatados a partir das intervenções nas políticas de segurança pública estão ainda a redução do índice de estupros, prisões relacionadas às ações efetivas de combate à corrupção e aumento da apreensão de drogas, com operações direcionadas ao enfrentamento do narcotráfico.

No acumulado do ano – entre os meses de janeiro e novembro – em comparação com o mesmo período de 2014, o número de homicídios na região metropolitana de São Luís caiu 12,8%. De acordo com o secretário de Segurança Pública do Maranhão, Jefferson Portela, o combate à criminalidade com ênfase em crimes mais graves, como homicídios, tem sido prioridade em todo o Brasil.

O país tem média de 60 mil homicídios por ano, o que equivale a 124 assassinatos por dia. “É preciso seguir o pacto nacional pela redução de homicídios estabelecido pelo governo federal e todos os estados se colocam nessa condição. Aqui no Maranhão, nós já ultrapassamos a indicação de redução de 5%. Vamos fechar 2015 com uma redução bem maior que a indicada”, comentou.

A estatística local de queda de homicídios aponta para um cenário de evolução no campo da segurança e constata avanços a partir do uso de mecanismos como a aproximação da polícia com a comunidade, revistas em ônibus por meio da Operação ‘Transporte Seguro’ e o reaparelhamento do operacional da SSP, com o reforço do sistema de videomonitoramento e a ação de integração promovida pelo Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops).

A criação de superintendências específicas, com direcionamento e trabalho de inteligência especializado, ampliou os resultados. O combate ao narcotráfico ganhou mais precisão policial: este ano apreensão de drogas cresceu em 10,1%. “Já retiramos de circulação 10 quadrilhas de assaltantes de bancos e várias quadrilhas de traficantes de drogas, com a apreensão de mais de uma tonelada de drogas antes da distribuição, antes que ela caia no varejo e seja distribuída para as ruas, o que é muito importante”, explica Jefferson Portela. Já o combate à corrupção executou investigações quanto a desvio de recursos públicos e casos de agiotagem, efetivando a prisão de agiotas, ex-prefeitos e empresários envolvidos nos crimes.

Violência contra mulheres
A redução de 33,5% em número de estupros em relação ao mesmo período de 2014 integra o esforço coletivo do combate à violência, inclusive com intensificação de ações de conscientização e educativas de forma segmentada. “Traçamos planos de enfrentamento da violência contra as mulheres e um destes é o de treinamento de delegados e policiais para avançar no combate aos crimes em relação ao gênero. As ações da polícia resultam em responsabilização do agressor e em medida protetiva à cidadã”, ressaltou o delegado geral de Polícia Civil do Maranhão, Augusto Barros.

Reforço
A inserção de mais 1.500 policiais – entre civis e militares – em 2016 no Estado vai reforçar ainda mais a reestruturação do sistema de segurança pública do Maranhão. A aquisição e o início da utilização do sistema de radiocomunicação também agilizarão o contato e a troca de informações entre os membros do sistema de segurança do estado. A ampliação do número de viaturas nas ruas – mais 150 serão disponibilizadas às polícias no início de 2016 – vai viabilizar maior agilidade no deslocamento e expansão do alcance e atuação policial.

Busca