Publicidade

Cabo Campos cobra acordo com o governo Estadual sobre ascensão na PM

Proposta de Cabo Campos dará ao soldado a possibilidade de chegar ao posto de coronel

O deputado estadual Cabo Campos usou a tribuna da na Assembleia Legislativa na última segunda-feira (2) para cobrar um acordo firmado entre o governo do Estado no ano passado com os policiais militares. O acordo com três itens  falavam da ascensão profissional no quadro de oficiais administrativos que vai até a patente de capitão, que poderia ascender até a patente de coronel.

Em sua fala, o parlamentar criticou a forma de progressão dos cargos atualmente na Polícia Militar e cobrou um sistema mais igualitário. “Nós temos duas formas de entrada na corporação: um como soldado e outra como oficial. Soldado faz o Curso de Formação de Soldado e Oficiais fazem o Curso de Formação de Oficiais. E o soldado pode chegar hoje até a patente de capitão. O certo seria fazer uma só carreira de forma única. Este seria o correto, porém já houve um recuo das associações quando aceitaram que o quadro QAO chegasse até Coronel, continuaria as duas formas de entrada. Ficamos felizes com isso porque todos nós sabemos que o ser humano precisa de aspirações e ele precisa de uma motivação”, alertou Campos.

Cabo Campos falou ainda da dificuldade que tem encontrado em conseguir apoio para que os que ingressaram na PM como soldados tenham a possibilidade de ascenderem até o cargo de coronel, já que é mais provável que o acordo dê progressão a esses militares somente até o cargo de major.

“Agora pasmem! O absurdo que é isso! Para encerrar, na Polícia Militar, eu fiz até uns vídeos com isso, no Corpo de Bombeiros, no universo, de 1200 bombeiros homens e mulheres estão pedindo 36 vagas de major, mas na Polícia Militar, no universo de 9.045 vagas, homens e mulheres, estão pedindo apenas 30. Já que proporcionalmente o número de vagas da Polícia Militar, de componentes da polícia militar, é cinco vezes mais, tinha que ser cinco vezes mais também o número de vagas. Porém, nós queremos somente que o nosso processo original passe que é de 84 vagas para major”, cobrou o deputado Cabo Campos.

Busca