Publicidade

Braide no 2º turno não foi só resultado de debate

Braide se saiu bem nos debates; mas namorou só isso.

Engana-se redondamente quem pensa que a “surpresa” desta eleição tenha sido fruto apenas de debate a 3 dias do pleito. Eduardo Braide (PMN) chegou ao 2º turno “comendo pelas beiradas”, enquanto todos se concentravam em Edivaldo, Eliziane e Wellington. Solto, sem ser incomodado, com pouco tempo de TV e Rádio, Braide fez o que um candidato tem de fazer pra ganhar eleição: foi em busca de eleitores, discretamente nas redes sociais, e caminhando pelos bairros.

A discrição de Braide e a forma inteligente de criticar os problemas que a cidade enfrenta, sem necessariamente desqualificar pessoalmente o prefeito Edivaldo, contribuíram para conquistar a confiança dos indecisos e até mesmo tirar votos do próprio Edivaldo.

Aquilo que as pesquisas não conseguiram detectar, pessoas próximas ao candidato já davam como certo: um lugar no segundo tempo da disputa. Mesmo antes do debate da Mirante, Braide já seguia subindo, e subindo rápido, na intenção de votos.

Certamente, os debates – considerando TV Guará e Mirante – contribuíram para o seu crescimento, mas não se pode falar em fator determinante, uma vez que um conjunto de fatores se desenvolvia em torno da candidatura de Eduardo Braide desde o início. Ao seu estilo, manso, discreto, com forte poder de convencimento, o candidato penetrou em camadas não alcançadas por nenhum dos outros candidatos. Ele alcançou bem a classe media, conquistou uma parcela da juventude e alguns setores sociais importantes.

Inteligente, Braide cercou-se de bons profissionais em todas as áreas. Cauteloso, demorou a entrar na disputa, até ter certeza de que dispunha das condições estruturais para isso. Sagaz, soube a hora do enfretamento e o fez com eficiência. Articulado, soube canalizar suas ideias primeiro de forma pontual, para depois arrebatar de forma ampliada o apoio necessário.

Sem dar um “piu” além do necessário, com a frieza de um predador, Braide atacou na hora certa e deixou para trás os “favoritos” na disputa. Resta saber se agora, quando todos os holofotes se viram para ele, até mais do que para Edivaldo, se consegue, dentro do seu estilo, desbancar o atual prefeito. Mesmo porque todas as armas estarão voltadas para sua cabeça.

 

 

 

Busca