Author Archives: Jeisael Marx

Radialista e *Jornalista, Professor de Comunicação e Oratória, Locutor Publicitário e Apresentador de TV, apaixonado por carro antigo e motociclismo.

*em formação.

Conforme adiantado pelo blog, jornal do Sarney fará mais um ataque a Duarte Jr.

Nesta terça-feira (17) será publicada mais uma matéria contra o ex-presidente do Procon/Viva no jornal fake news O Estado do Maranhão, confirmando o que foi publicado no blog jeisael.com no último sábado (14), quando informamos que o jornal da Familia Sarney prepara série de ataques a Duarte Jr.

Desta feita, o jornaleco dos Sarneys traz uma matéria onde diz que, mesmo afastado do Procon, Duarte teria usado a estrutura do órgão numa visita feita no início do mês ao Liceu. O jornal, portanto, vai tratar de mais um factoide criado por um desafeto de Duarte Jr. para tentar gerar embaraços em sua caminhada como pré-candidato a deputado estadual.

A estratégia é bem simples: um adversário qualquer de Duarte Jr. faz uma denúncia qualquer ao Ministério Público Estadual apenas para gerar um fato. Dai, esse fato, ainda sem ser confirmado, vira uma manchete bomba com uma matéria nas paginas do jornal do grupo Sarney contra o ex-presidente do Procon, baseada em algo que sequer foi apurado para ser dado como verdade. A única coisa que existe é… o nada, porque sequer a tal denúncia foi analisada pelo MPE.

Ou melhor, existe algo sim. Existe um medo irracional dos sarneyzistas em ver um jovem como Duarte Jr. ocupando uma cadeira no parlamento estadual. E eles farão de tudo para impedi-lo de ser eleito. Cada matéria gerada a partir de factoide pretende dissuadir o jovem advogado de concorrer nas eleições deste ano. Querem matá-lo ainda no nascedouro. Isso mesmo, sequer querem que ele seja candidato.

Sobre a matéria que será publicada nesta terça-feira, o blog entrou em contato com Duarte Jr., que informou ser sabedor de seus deveres, especialmente por ser advogado, e jamais cometeria qualquer ilegalidade em sua caminhada como pré-candidato. “Eu saí do Procon exatamente cumprindo a Lei, que exige a desincompatibilização de cargos públicos para aqueles que pretendem concorrer nas eleições. Logo, eu não cometeria nem cometerei qualquer ilegalidade dessa natureza”. Esclareceu.

Duarte fez questão de enfatizar ao blog que, como cidadão, professor, advogado, tem o direito de exercer plenamente quaisquer atividades pessoais e profissionais, e, por isso, continua dando palestras e aulas normalmente, participando de eventos sociais e entrevistas como especialista que é na área de Direito do Consumidor. Disse ainda que as pessoas que trabalhavam ao seu lado no Procon e o acompanham atualmente também foram desligadas do órgão junto com ele. “Portanto, nenhuma ilegalidade foi cometida”, salienta.

Enquanto isso, o jornal O Estado do Maranhão seguirá confeccionando matérias para atingir o ex-presidente do Procon/Viva, confirmando o que foi adiantado pelo blog. A próxima matéria os leitores já sabem: vão acusar Duarte de usar a estrutura do Procon numa vivista que fez ao Liceu, depois de ter saído do órgão estadual. Será publicada nesta terça-feira.

Detalhe: a imagem abaixo será usada pelo jornal, mas sequer retrata a visita de Duarte ao Liceu, mas sim à Escola Modelo, onde não se vê nenhum auxiliar do ex-gestor, nem mesmo algum dos que deixaram o Procon junto com ele.

Imagens da rede social de Duarte devem compor a matéria de OEMA

Podem até não publicar a matéria depois desta postagem mais para tentar provar que o blog está errado. Mas, aí estarão apenas mostrando que temos razão.

Aguardem os próximos capítulos.

“Hilton Franco sempre foi um perseguidor de colegas”, diz ex-vereador Prof. Lisboa

Prof. Lisboa ao centro, ladeado por Hilton Franco e Wellington com outros dois professores.

Em participação através de mensagem de texto no programa “Ponto Continuando”, na Rádio Mais FM, desta sexta-feira, 13, o Professor Lisboa revelou o traço perseguidor do colega de profissão Hilton Franco, que esta semana chamou a presidenciável Manuela D’Ávila (PC do B) de “vaca” no seu Facebook.

O caso ganhou grande repercussão especialmente depois que surgiram outras postagens de Hilton Franco, onde ele chama a presidente do PT, Gleisi Hoffman, de “vagabunda”, se dirige a um Senador da República com palavras como “canalha”, e manda um presidente de um país “tomar no c.” e o o chama de “filho da p*ta”.

Diversas entidades e autoridades repudiaram o comportamento de Hilton Franco, inclusive em nível nacional. Mas, a manifestação de Professor Lisboa é reveladora, pois trata-se de um profissional extremamente respeitável, adimirado por colegas, alunos e ex-alunos, e ex-colega de Hilton Franco. Ambos professores do Curso Wellington, cujo dono, o deputado Wellington é retratado por Lisboa como pessoa de “inestimável apreço”.

Já sobre Hilton Franco, Lisboa disse seu ex-colega “parece ter chegado ao fundo poço, de onde parece que nuca saiu”. Além disso, o ex-vereador externa que o machista e sexista Hilton Franco levou Wellington junto com ele para o fundo do poço. Mais ainda, Lisboa informa que também foi “duramente perseguido”.

Confira a íntegra da mensagem enviada por Lisboa, onde também “lamenta cada palavra infeliz desse que se diz professor e envergonha a classe”.

Boa noite, meus amigos. Na escuta do programa sempre.
Lamento Hilton Franco ter chegado ao fundo do poço – de onde parece que NUNCA saiu -, levando com ele até um grande amigo, que é Wellington, por quem tenho inestimável apreço, respeito e admiração. HF, infelizmente, sempre foi um perseguidor de colegas – EU fui duramente perseguido, inclusive. Lamento cada palavra INFELIZ deste que se diz PROFESSOR e envergonha a Classe. LASTIMÁVEL.

PROF. LISBOA.

 

Blogueiro Neto Ferreira deverá ser ouvido pela Polícia do Piauí sobre “carta” do médico Mariano


A investigação que apura as circunstâncias do suicídio do médico Mariano já foi iniciada pelo Polícia do Piauí. Uma fonte bem situada na Secretaria de Segurança Pública daquele estado informou com exclusividade a este blog – em condição de reserva – que a Polícia quer ouvir o blogueiro Neto Ferreira, que divulgou fragmentos das anotações do médico, após, segundo o site O Informante, ter feito  contatos suspeitos com políticos maranhenses.

Neto Ferreira fez suspense em grupos de whatsapp por pelo menos duas semanas sobre o teor da “carta”. Resolveu publicar trechos das anotações e, somente após o suicídio do médico, resolveu liberar todo o conteúdo.

Segundo a fonte, a polícia piauiense estaria ventilando a possibilidade de a divulgação da “carta” ter levado o médico ao suicídio. A Polícia quer saber, por exemplo, quem a entregou o material ao blogueiro. Neto Ferreira pode alegar direito legal de sigilo de fonte que cabe ao profissional do Jornalismo para não revelar como teve acesso ao conteúdo.

Entretanto, há casos que envolvem crimes onde esse sigilo não pode ser alegado. O profissional poderia de própria vontade colaborar com o trabalho da Polícia, sem colocar, evidentemente, sua segurança ou a da fonte em risco.