Publicidade

Atendendo a um pleito de 20 anos da região Tocantina, governador Flávio Dino sanciona lei e cria a UEMASUL

Ao lado de estudantes, governador Flávio Dino sanciona lei que cria UEMASUL. Foto: Nael Reis/Secap

Valorizar vocações locais e promover o desenvolvimento regional por meio da educação superior. Com estes objetivos, o governador Flávio Dino sancionou nesta terça-feira (01), em Imperatriz, a lei para criação da Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (UEMASUL). Com previsão de funcionamento no segundo semestre de 2017, a UEMASUL é aguardada pela população da região há mais de 20 anos.

Durante a sansão da lei, o governador Flávio Dino destacou que a medida não só representa a concretização de um compromisso seu com a região, como assegura um dos pilares de todo o trabalho desenvolvido pelo Governo do Maranhão: a democratização da educação e a geração de oportunidades. “Esta é uma medida importante para democratização do ensino superior no Maranhão, um dos estados que menos tem alunos em universidades”, ressaltou Flávio Dino.

Para o prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira, embora o projeto tenha sido aprovado por unanimidade na Assembleia Legislativa do Maranhão a luta da região foi intensa e se prolongou por vários anos. “Queremos agradecer a coragem e a determinação política do governador Flávio Dino, pois sem isso não teríamos conseguido”, disse. O prefeito também ressaltou que esta medida abre caminho para a conquista de autonomia de outras instituições da região, como a Universidade Federal do Maranhão (UFMA) e o Instituto Federal do Maranhão (IFMA), ampliando o desenvolvimento da região.

O secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), Jhonatan Almada, destacou que a sessão solene de criação da UEMASUL representa um compromisso construído pelo governador Flávio Dino no diálogo com a população da região, e, que agora, se torna realidade. “O governador Flávio Dino colocou em seu programa de governo a criação das Universidades Regionais, e, hoje, em 2016, começamos a cumprir este compromisso. Hoje o governo faz história”, disse o secretário agradecendo o apoio dos deputados Marco Aurélio e Bira do Pindaré na defesa do projeto.

Por enquanto, os cursos da UEMASUL serão os mesmos já ofertados pela Uema. Apenas em 2018 novos cursos serão ofertados, após estudo do arranjo produtivo regional e discussão com a sociedade em geral e a comunidade acadêmica. Uma nova sede será construída para a instituição. A obra, orçada em R$ 13 milhões tem previsão de entrega em 2018.  O prédio da Uema já existente na cidade será mantido e todo o patrimônio móvel, imóvel, estrutural, será transferido para a UEMASUL.

Busca