Publicidade

Assaltos a ônibus e roubo de motos voltam com tudo em São Luis

Duas modalidades de crime tem crescido nos últimos dias na capital maranhense. Todos os dias são registrados vários assaltos a ônibus e roubos de motocicletas. Somente nesta quinta-feira (06), 4 coletivos foram assaltados e 4 motocicletas roubadas.

No bairro Vila Embratel, assaltantes armados de facão levaram a renda de um ônibus e pertences dos passageiros, por volta de 21:30h. Outro caso aconteceu no Mercado do Peixe na região central, onde dois bandidos renderam mais um ônibus. Já na avenida Daniel de La Touche, em frente ao Shoping da Ilha, 3 almas sebosas, sendo uma mulher, renderam passageiros e, armados de faca, fizeram o raspa. Da mesma forma, outro coletivo foi atacado no bairro da Alemana. Os bandidos sempre levam a renda do veículo e os pertences dos passageiro.

Roubo de motos

Uma Bros 150 foi tomada de assalto por um bandido aramado de revólver, na avenida Guajajaras. No bairro Cohab-Anil III, um Titan 150 foi levada por dois bandidos. Mais um Bros foi roubada na Cidade Operária. Dois homens que estavam em outra moto levaram da vítima também documentos pessoais. Mais um caso aconteceu na Vila, onde quatro almas sebosas levaram um Titan 150, após assaltarem uma padaria.

Normalmente, motos populares, de baixas cilindradas, alimentam o mercado ilegal de peças ou são vendidas por mixaria para rodarem em pequenas cidades do interior do estado, onde a fiscalização é inexistente ou precária. É comum ver motos rodando sem placa, conduzidas por gente não habilitada e sem equipamento de segurança como capacete. Tudo aos olhos das autoridades. Isso torna o mercado de roubo de motos um grande atrativo para os bandidos. Dificilmente, as vitimas conseguem recuperar seus veículos nessa situação.

Por outro lado, motos mais potentes são roubadas para serem utilizadas na prática de outros crimes. As de 300 cilindradas são as preferidas. Quando também não são vendidas para rodar ilegalmente no interior, essas tendem a ser recuperadas com mais facilidade, pois o mercado de desmanche e venda de peças é mais escasso. Quanto maior a cilindrada, menor o mercado e, portanto, menos interessante para o marginal, pois não há demanda.

 

Busca