Prefeitura de São Luís

Armas de fogo podem ganhar chip para dificultar adulteração

arma_de_fogo

Para dificultar adulterações do número de identificação e os que tentam burlar o controle do Estado sobre a circulação de armas de fogo, projeto do senador Valdir Raupp (PMDB-RO), prevê a instalação de chips eletrônicos na parte interna do armamento fabricado no Brasil e importado, registrado no Sistema Nacional de Armas (Sinam) e no Sistema de Gerenciamento Militar de Armas (Sigma).

O dispositivo deve conter todas as informações sobre a arma, além da identificação do órgão público a qual está vinculada e os dados do proprietário atual e dos anteriores. O projeto altera o Estatuto do Desarmamento, que estabelece pena de três a seis anos de prisão, além de multa para quem alterar a numeração da arma.

Valdir Raupp apresentou projeto sobre o mesmo tema em 2006, que previa que as armas deveriam ter o número de série gravado na superfície interna e externa do equipamento. O texto acabou arquivado no ano passado devido ao fim da legislatura. A nova proposta foi apresentada no início de março e está em análise na Comissão de Constituição e Justiça.

De acordo com dados do Sistema Nacional de Armas, em 2010 o Brasil tinha mais de 16 milhões de armas de fogo. Deste total, 14 milhões estão com a sociedade civil, e mais da metade são ilegais.

Radialista e Jornalista, Professor de Comunicação e Oratória, Locutor Publicitário e Apresentador de TV
Busca
Rádio Timbira Ao Vivo
Facebook