Prefeitura de São Luís

Alerta: No Maranhão quase 100 casos de abuso sexual contra crianças são registrados por mês

Os casos de violência sexual contra crianças no Maranhão atingiram números preocupantes, segundo dados da Secretaria de Segurança Pública do Estado. Somente neste ano de 2019, quase 100 casos por mês estão sendo registrados.

Apenas no período de Janeiro a Abril  foram 321 casos.. Em 2018, foram 1047 casos ao todo. Infelizmente, essa realidade pode ser ainda mais assustadora. Segundo as autoridades, muitos casos não chegam a ser denunciados, ou por medo de represálias, ou mesmo por vergonha da família.

“Há estimativas de organismos internacionais que demonstram que os números que chegam aos organismos oficiais não chegam nem a 10% do que efetivamente acontece. Então é um problema que ainda está ocultado, ainda não temos uma dimensão real do problema e nós precisamos trabalhar em cima disso para que essa cultura de estupros ocorridos dentro das relações familiares pare de acontecer como está”, declara a delegada especial da Mulher, Kazumi Tanaka.

As consequências do abuso sexual, segundo pesquisadores e especialistas,  devasta vidas e famílias.

“O abuso sexual traz consequências que podem se manifestar durante o tempo do abuso, mas geralmente essas consequências perduram. Para a família, existe um pacto de segredo estabelecido que são extremamente danosos, não só para a pessoa que é vítima, como, por exemplo, para os outros membros da família”, afirma a psicóloga Sandra Ory.

Quase sempre quem comete o abuso sexual é alguém do vínculo familiar ou que detém de relação de confiança e proximidade com a vítima. É o que explica a delegada da Criança e do Adolescente, Ana Zélia Gomes.

“Os agressores se prevalecem da situação da relação de confiança que existe com a vítima e, por isso, os números indicam que 90% das agressões e abusos sexuais cometidos contra crianças e adolescentes são praticados por pessoas próximas ou do ciclo familiar dessa vítima. A gente tem pai, padastro, avô, avó, tios, irmãos, amigos íntimos, vizinhos… que se prevalecem da relação de confiança e o silêncio”.

Outra dificuldade encontrada pelas autoridades e Centro de Perícias da Criança e do Adolescente em São Luís é a ausência de sinais da agressão. O Centro recebe cerca de 200 casos por mês para analisar, isso só na região Metropolitana. Nem sempre os sinais de abuso aparecem no corpo.

A orientação é buscar maior proximidade com os filhos, permitindo que eles contem detalhes do que acontecem no dia a dia. Essa é uma das formas mais eficazes de combater esse tipo de violência.

Radialista e Jornalista, Professor de Comunicação e Oratória, Locutor Publicitário e Apresentador de TV
Busca
Rádio Timbira Ao Vivo
Facebook