Publicidade

Ações de combate ao mosquito Aedes Aegypti repercutem na Assembleia Legislativa

O Dia de Mobilização para o Combate ao Aedes aegypti, assim como as diversas outras ações realizadas para combater o mosquito transmissor da dengue, zica e chikungunya repercutiram também na Assembleia Legislativa. O deputado estadual Cabo Campos (PMN) usou a tribuna da Casa, na última segunda-feira (15), para falar sobre o combate ao mosquito Aedes Aegypti, e suas consequências.

“Trago aqui um sentimento de aflição meu e de todo Brasil, esse mosquito se tornou um monstro, já temos a epidemia de dengue que assola o País, e agora, esse novo vírus, o Zika, que está tomando proporções enormes, chegando a atingir até o nosso Estado, precisamos tomar providências urgentes”, alertou.
O parlamentar aproveitou também para elogiar o tema da Campanha da Fraternidade deste ano. De acordo com Cabo Campos, o documento contribui na tarefa de conscientizar a população sobre a participação de todos no combate ao mosquito.”Esse mosquito se prolifera especialmente utilizando-se de água parada, situação essa muitas vezes ocasionada por condições precárias de saneamento, ou pela falta de cuidado com manejo dos resíduos sólidos. Portanto, essa campanha é importante para conscientizar a sociedade de que para termos uma qualidade de vida adequada não podemos apenas esperar a ação do poder público. Também devemos fazer a nossa parte”, ressaltou.
Soldados e oficiais do Exército, Marinha e Aeronáutica, além de agentes da Saúde participam desta ofensiva do governo, em todo o país, no combate ao mosquito que provoca a dengue, cikungunya e zika.
A Secretaria de Estado da Saúde lançou o Plano Emergencial de Enfrentamento da Dengue, Chikungunya e ZikaVírus, que tem como objetivo a conjugação de esforços para a intensificação do controle vetorial nos 217 municípios, à exemplo do eixo da capacitação permanente, iniciando pela integração e articulação das atividades de campo pelos 15.800 agentes comunitários de Saúde (ACS) e dos 2.313 Agentes de Combate a Endemias (ACE) no Maranhão.
A população também pode denunciar possíveis focos de proliferação do mosquito do Aedes aegypti através dos números de whatsapp (98) 98411 2086 / 98411 7085, disponibilizados e gerenciados pela Secretaria de Saúde, para que haja ação imediata no local de agentes de saúde.
Busca