Acidente que matou 5 pessoas no Jaracati completa 1 mês; famílias pedem justiça

O acidente que resultou na morte de 5 pessoas, na Avenida Carlos Cunha, bairro Jaracati, completou um mês nesta terça-feira (08).

Familiares e sobreviventes da tragédia que marcou o dia do aniversário de São Luís estiveram reunidos com 4 defensores públicos para pedir justiça e externar os problemas que enfrentam desde o acidente.

Os moradores pedem uma mureta de proteção no local em que o veículo dirigido por Victor Yan Barros de Araújo, 25 anos, saiu da via e atingiu uma família que comemorava um aniversário, além de acesso a tratamentos de saúde.

“Eles relataram que já não foram só essas mortes e sim dez mortes, de janeiro até agora. Os moradores demandam um muro de proteção por conta da questão da barra de ferro, uma calçada e uma passarela, que não é suficiente. A gente vai oficiar as secretarias para obter um cronograma em relação a essas demandas de infraestrutura da comunidade e se for o caso, acionar judicialmente o município para que ele forneça infraestrutura para que essas pessoas possam viver ali com segurança”, explicou Cristiane Marques, defensora pública.

Victor Yan Barros continua internado em um hospital da Capital. O Ministério Público (MP) abriu investigação para apurar se sua internação está sendo usada para evitar que seja preso. (Leia mais).

Os pais das vitimas do acidente pedem mais celeridade no caso, a prisão e responsabilização do motorista pelas mortes.

“É muito sofrimento, isso não pode deixar que fique impune porque vai acontecer outras vezes. Tem que servir de exemplo, esse rapaz tem que pagar pelo que ele fez. Não foi um acidente, foi um crime”, disse Marcos Durans, pai de uma vítima.

Segundo o laudo emitido pelo ICRIM, e que foi anexado na denúncia formulada pelo MP, o carro que Victor Yan dirigia registrava uma velocidade entre 92 a 107 km/h, no momento do acidente. O MP denunciou o motorista por homicídio doloso, quando há intenção de matar.

Familiares das vítimas do acidente no Jaracaty foram ouvidos por defensores públicos em São Luís (MA) — Foto: Reprodução/TV Mirante

Sobre o pedido de construção de uma mureta de proteção no local do acidente, a Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT) informou que está tomando todas as medidas para a construção da barreira, e anunciou uma alteração na configuração geométrica da Avenida Carlos Cunha.

Segundo o órgão, serão eliminados um dos retornos localizados próximos da cabeceira da Ponte Bandeira Tribuzzi, no sentido bairro Camboa.

As informações são do G1 MA.

Radialista e Jornalista, Professor de Comunicação e Oratória, Locutor Publicitário e Apresentador de TV
Busca
Rádio Timbira Ao Vivo
Facebook