Publicidade

7 não-fatos marcaram o fracasso dos Sarney em 2018

Resultado de imagem para sarney

Quem acompanha o jogo político sempre fica de olho nos fatos e boatos que rondam os famosos grupos de zap e a blogosfera maranhense.

Mas há uma categoria igualmente importante para analisar o cenário político do Maranhão. São os “não-fatos”. Aqueles boatos, versões e fuxicos que são dados como certos e nunca chegam a se realizar.

Os “não-fatos” comprovam muita vezes o contrário do que quis dizer quem os plantou. Senão vejamos alguns “não-fatos” que marcaram a política maranhense este início de ano

1. NÃO foi desta vez que Roseana voltou ao DEM tomando o partido da coligação de Dino e de quebra se livrar da dobradinha com Temer. Com isso, não terá DEM e acrescerá à catinga oligárquica a do governo mais impopular da história (só comparável ao de seu pai).

2. NÃO se filiou ao PP o ministro de Temer, Sarney Filho, que iria tomar o partido de Fufuca.

3. NÃO foi tomado o PTB do deputado federal Pedro Fernandes, aquele que Sarney vetou como ministro do Trabalho prejudicando o Maranhão.

4. NÃO filiaram Eduardo Braide ao PSD nem ao PSDB, o que daria tempo ao principal candidato a laranja de Roseana na campanha.

5. NÃO fortaleceram o PMDB, partido de Temer e Sarney, que ao invés de ganhar reforços no período de filiações, perdeu quadros para outros partidos da oligarquia.

6. NÃO conseguiram tirar o senador Roberto Rocha da presidência do PSDB maranhense, tentativa desesperada de dar o partido a Braide.

7. NÃO há notícias de que Roseana Sarney tenha saído de casa no quase um mês que já se passou após o fim da Caravana da Guerreira. Nem para ir ao mercado de pijamas…

Busca