Publicidade

Jogo de interesses e ‘coincidências’ em relação às críticas ao reajuste do ICMS no MA

Braide e Adriano jogam contra o Maranhão

O Projeto de Lei que tramita na Assembleia Legislativa sobre proposta de revisão na alíquota de ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) no Maranhão está carregado de interesses políticos. Os deputados de oposição e os neo-anti-comunistas estão tentando de todo modo barrar a iniciativa que visa a continuidade dos serviços públicos e o equilíbrio fiscal do Estado.

De forma oportunista, o deputado Adriano Sarney utilizou o plenário da Casa para afirmar que o Maranhão não precisa fazer os reajustes para manter as contas em dia. Não se sabe se por falta de conhecimento do cenário nacional ou por má-fé, o parlamentar chegou ao cúmulo de dizer que os repasses federais ao Maranhão não sofreram queda, mesmo os dados demonstrando que o estado perdeu cerca de R$ 1 bilhão de Fundo de Participação (FPE) nos últimos anos por conta da crise.

De forma irresponsável, o filhote da oligarquia deputado neto de Sarney fecha os olhos para a crise que toma conta do país e que está levando vários estados a decretar calamidade pública, com o único objetivo de poder dar continuidade à prática política que perdurou durante décadas de domínio da sua família: a do quanto pior, melhor. O sonho dos sarneysistas é de que o Maranhão venha a ser um dos estados afetados pela maior crise econômica da história brasileira desde 1929, e deixe de pagar funcionários, fornecedores. Em suma, eles querem a população sofra com a falta de recursos do Estado.

Outro que está levantando a bandeira das críticas aos reajustes do ICMS é o deputado Eduardo Braide. Defensor dos ajustes feitos no ano passado, o parlamentar demonstra que nunca se recuperou da derrota para Edivaldo Holanda Júnior nas últimas eleições. Outro objetivo dele parece ser desviar o foco da Máfia de Anajatuba, que estourou durante o pleito de 2016 e até hoje tem desdobramentos.

Esses dois exemplos demonstram que ambos os deputados estão mais preocupados com a política do que propriamente com o discurso que eles estão usando para criticar o Governo. Está mais do que provado que não existe coincidência nessa relação, mas sim mero jogo de interesses políticos. Adriano Sarney e Eduardo Braide pensam no próprio umbigo, e que se exploda o Maranhão e seu povo.

Busca