Diferença entre Edvaldo e Wellington chega a 26 pontos, afirma Data M

Resultado de imagem para edvaldo e wellington do curso

Na reta final das eleições para a prefeitura de São Luís, Edvaldo aumenta a diferença que tinha em relação ao seu principal adversário, Wellington do Curso e fica cada vez mais perto da reeleição. Pelo menos é o que afirma a pesquisa Data M, publicada nesta quinta-feira (29), que mostra uma diferença de 26 pontos entre os dois candidatos.

Na pesquisa estimulada, onde são apresentados os nomes dos candidatos ao eleitor, Edivaldo está com 48,0% de intenções de voto, Wellington do Curso com 21,3%, Eliziane Gama (PPS) com 6,2%, Eduardo Braide (PMN) com 3,5%, Fábio Câmara (PMDB) com 1,9%, Rose Sales (PMB) com 1,1%, Cláudia Durans (PSTU) com 0,8%, Valdeny Barros (PSOL) com 0,1% e Zé Luis Lago (PPL) não pontuou. 9,7% disseram que não votariam em nenhum dos candidatos e 7,4% não sabem ou não responderam.

Exibindo Pesquisa DataM-07.jpg

Considerando somente os votos válidos — sem os brancos e nulos, que é o formato utilizado pela Justiça Eleitoral para contabilizar os resultados —, Edivaldo lidera com 57,9% dos votos. O percentual seria suficiente para o pedetista ser reeleito ainda no primeiro turno. Wellington se mantém na segunda posição, com 25,7% das intenções de voto, seguido de Eliziane com 7,5%, Eduardo Braide com 4,2%, Fábio Câmara com 2,3%, Rose Sales com 1,3%, Cláudia Durans com 1,0%, Valdeny Barros com 0,1% e Zé Luis Lago não pontuou.

Exibindo Pesquisa DataM-05.jpg

Segundo turno

Ainda de acordo com a pesquisa, em um eventual segundo turno entre Edvaldo e Wellington,  o atual prefeito sairia vitorioso com 54,9% das intenções de voto, contra 30,3% do adversário Wellington. 12,1% não votariam em nenhum deles e 2,7% não sabem ou não responderam.

Exibindo Pesquisa DataM-08.jpg

 

A pesquisa foi encomendada pela TV Difusora e Sindicato das Indústrias da Construção Civil do Estado do Maranhão/ Sinduscon, e registrada na Justiça Eleitoral, no dia 23 de setembro, sob o protocolo MA­06630/2016. A Data M ouviu 1.000 eleitores, entre os dias 25 e 27 de setembro, em vários bairros da capital. A margem de erro da pesquisa é de 3% para mais ou para menos, sendo 95% de confiabilidade.

 

Share and Enjoy

Comentários

Comentários1

Em disputa acirrada, César Cantanhede lidera em Bequimão

Blog do Clodoaldo – Mesmo com disputa acirrada, o candidato César Cantanhede (PSDB) lidera a disputa em Bequimão. De acordo com pesquisa Econométrica, o candidato tucano está na frente, porém dentro da margem de erro, o que indica o chamado empate técnico.

pesquisabequimao

César Cantanhede está com 47,1% das intenções de voto, enquanto Zé Martins (PMDB) possui 44,8%. Alessandro Trancoso (PSOL) aparece distante da disputa com 2,3%. Nulos são 2,9% e não souberam ou não opinaram também 2,9%.

A pesquisa do instituto Econométrica foi contratada pelo Blog do Clodoaldo Corrêa e registrada sob o número MA-05345/2016. Foram ouvidos 308 eleitores entre os dias 19 e 20 de setembro. A margem de erro é de 5 pontos e o intervalo de confiança é de 95%.

A disputa em Bequimão promete ser acirrada até o último minuto.

Share and Enjoy

Comentários

Comentários1

ELEIÇÃO: Exata confirma favoritismo de Almeida em Igarapé do Meio

Pesquisa Exata divulgada nesta quarta-feira (28) confirmou o favoritismo do candidato à prefeitura de Igarapé do Meio, Almeida (PCdoB), que liderou em todos os cenários analisados pelo instituto. De acordo com a pesquisa, o candidato aparece com 51% das intenções, contra 43% de Raimundo, que tenta a reeleição, na pesquisa espontânea – quando não são apresentado os nomes dos candidatos. Ainda na espontânea, 1% dos entrevistados afirmaram que não votariam em nenhum dos candidatos e 5% não sabiam ou não opinaram.

espontanea

Segundo a Exata, Almeida lidera também na pesquisa estimulada – quando são apresentados os nomes dos candidatos. Nesse quesito, o candidato obteve 53% de preferência do eleitorado contra 43% de Raimundo. Já o número de eleitores que não sabiam em quem votar ficou em 1%, e os que não opinaram em 3%.

estimulada

Almeida lidera também as intenções de votos na zona urbana do município (com 52% de preferência) e também na zona rural (com 54% das intenções de votos).

Em relação a rejeição dos candidatos, 49% dos entrevistados afirmaram que não votariam de jeito nenhum em Raimundo. Almeida registrou 39% de rejeição.

rejeicao

Avaliação de Dino 

avaliaa

A pesquisa mediu também o nível de satisfação dos moradores do município em relação ao governo Flávio Dino. De acordo com a Exata, 7% dos entrevistados consideram a gestão de Dino como ótima, 26 % consideram bom, 30% regula positivo, 7% ruim e 13% consideraram péssimo.

Dino influenciaria também no resultado do pleito no município, já que ,de acordo com o levantamento, 41% dos entrevistados votariam com certeza no candidato que tivesse apoio do governador. 25% poderiam votar no candidato que recebesse o apoio e 31% não votariam no candidato apoiado por Dino.

A pesquisa da Exata foi realizada entre os dias 12 a 14 de setembro e ouviu 350 pessoas, com a margem de erro máxima de 3,0% para mais ou menos, e com um nível de confiança de 95%. A pesquisa foi registrada sob o número MA-07102/2016.

Share and Enjoy

Comentários

Comentários1

Justiça extingue processo contra Wellington do Curso

wellington

O juiz Cícero Dias, titular da 4ª Vara da Fazenda Pública do Maranhão, em decisão anunciada nesta quarta-feira (28), extinguiu o processo movido pelo governo do Maranhão contra o deputado estadual e candidato à prefeitura de São Luís, Wellington do Curso (PP), por suposta invasão de um terreno público às margens da Via Expressa.

Cícero acatou os argumentos da defesa de Wellington, que afirmou que ele não poderia figurar como réu na ação porque não é proprietário do imóvel, e decidiu encerrar a ação, por ilegitimidade do pólo passivo.

Na época do inicio do processo, Wellington chegou a afirmar que o terreno seria, na verdade, de seu irmão.

Terreno: Justiça extingue processo e confirma perseguição contra Wellington

Terreno: Justiça extingue processo e confirma perseguição contra Wellington

Terreno: Justiça extingue processo e confirma perseguição contra Wellington

Share and Enjoy

Comentários

Comentários1

Justiça determina prisão do ex-prefeito de Sucupira do Norte

sucupira
TJ condenou o ex-prefeito do município, Benedito Sá de Santana, a 11 anos e quatro meses de prisão

Os desembargadores da 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA) rejeitaram – por unanimidade – recurso de apelação criminal contra sentença proferida pela juíza titular da Comarca de Sucupira do Norte, Gisa Fernanda Nery Mendonça, que condenou o ex-prefeito do município, Benedito Sá de Santana, a 11 anos e quatro meses de prisão. O processo foi julgado pelo colegiado sob a relatoria do desembargador José Luiz Almeida, que determinou a prisão do ex-prefeito, a ser cumprida inicialmente em regime fechado.

Enquanto prefeito do município, Benedito Sá de Santana teve a prestação de contas do exercício financeiro de 2007 rejeitada pelo Tribunal de Contas do Estado do Maranhão (TCE), em razão de várias irregularidades, incluindo desvios de recursos públicos, dispensa de licitação fora das regras previstas em lei e emissão de documento falso.

No recurso interposto junto ao Tribunal de Justiça, Benedito Sá alegou que as provas reunidas no processo não são suficientes para demonstrar a autoria e materialidade delitivas (existência de elementos físicos que constatam a ocorrência do delito)  dos crimes imputados a ele quando exercia o cargo de prefeito de Sucupira do Norte.

Aponta ausência de trânsito em julgado (decisão judicial da qual não se pode mais recorrer) dos acórdãos do TCE que serviram de base para a denúncia do Ministério Público do Maranhão (MPMA) e atipicidade (quando o fato não possui todos os elementos legais para se constituir em um delito) quanto ao crime de dispensa de licitação, ante a ausência de dolo (procedimento fraudulento) específico e dano ao erário.

Pugna pela a sua absolvição e, subsidiariamente, pede que seja reduzida a condenação, com a modificação do regime inicial de cumprimento de pena, anulando a multa, ou reduzindo o seu valor, em razão de inexistência de provas que apontem para a prática do delito.

O desembargador José Luz Almeida rejeitou todas as alegações da defesa e afirmou que, na condição de prefeito municipal, Benedito de Sá desviou recursos públicos e se omitiu quanto ao dever de realizar licitação, além de utilizar documento que sabia ser falso.

Quanto à suposta ausência de dolo específico, por não ter ficado supostamente demonstrada a intenção do ex-prefeito de causar prejuízo efetivo ao erário, o relator frisou que esta argumentação não se sustenta. De acordo com o magistrado, o dolo ficou evidenciado e caracterizado pela consciente vontade do ex-prefeito de incorporar ao seu patrimônio verbas públicas, se apropriando destas e apresentando gastos com despesas que não foram comprovadas no processo e nem na apresentação da prestação de contas do acusado junto ao TCE/MA.

Em relação à alegação de que inexiste prova do trânsito em julgado das decisões proferidas pelo Tribunal de Contas, o desembargador ressaltou que os processos foram julgados entre os anos de 2009 e 2010, não tendo a defesa apresentado na época qualquer documento que demonstrasse seu inconformismo em relação aos referidos acórdãos (decisão do órgão colegiado de um tribunal), que sob o ponto de vista legal não são imprescindíveis para a prolação da sentença condenatória.

No que diz respeito ao pedido de redução da condenação e de alteração do regime de cumprimento de pena pela suposta inexistência de provas que apontem para a prática do delito, o magistrado apontou que o conjunto probatório (verdade real dos fatos) constante nos autos revela-se suficiente para a manutenção da condenação, não havendo, de igual modo, qualquer ilegalidade ou desproporção no estabelecimento da pena, uma vez que na sua aplicação foram observados todos os critérios estabelecidos em lei.

A decisão do colegiado acompanhou parecer da Procuradoria Geral de Justiça (PGJ) e recebeu manifestação do desembargador Raimundo Melo, que enfatizou a necessidade de contundente reação institucional contra fraudes cometidas criminosamente por gestores na administração pública, comprometendo o sistema democrático.

Share and Enjoy

Comentários

Comentários1